Comprando Seu Carro

Qual a quilometragem boa para um seminovo ou usado?

kilometragem seminovo usado
0

(Foto por chuttersnap / CC0)

Você está pensando em trocar de carro mas não sabe qual a quilometragem ideal para um seminovo ou usado? Então, você está no lugar certo. Neste texto trataremos sobre tudo o que envolve a quilometragem na hora da compra ou venda de um carro.

Apesar de ser um critério que influencia o preço dos veículos no mundo todo, a distância percorrida pelos carros é muito mais avaliada pelos brasileiros.

Aqui o mercado estabelece uma média de quilometragem por ano, além de um limite total marcado no hodômetro, para que um carro possa ser considerado de qualidade, mas o quanto será que isso realmente importa na hora de procurar por um novo veículo?

Qual é a faixa de quilometragem aceitável em relação ao ano do veículo? Como saber se o hodômetro foi adulterado? E como usar todos esses dados para fazer uma escolha ainda mais acertada? Essas e outras dúvidas serão solucionadas nesse texto. Acompanhe e confira!

Como estipular o preço do carro pela quilometragem?

kilometragem usado seminovo carro preco
(Foto por Mason Jones / CC0)

Normalmente o preço de um veículo é estipulado na base da comparação. Primeiro se consulta o valor do seu veículo na tabela Fipe. A Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) é uma instituição que investiga o preço de diversos bens de consumo e mensalmente disponibiliza os dados da média nacional destes preços atualizados para a consulta.  

Essa é a primeira base de dados que qualquer pessoa tem acesso na busca por valores de veículos no Brasil, mas a tabela nem sempre é muito precisa em relação ao preço de mercado praticado. Por isso, é recomendado também fazer um levantamento de anúncios dos modelos de carro que lhe interessa em sites de classificados.

A diferença entre o preço de referência da tabela e o praticado no mercado se dá por diversos fatores, um deles é a quilometragem do veículo.

O número marcado no hodômetro do carro pode jogar o preço dele tanto para cima, quanto para baixo.

Quanto mais kilômetros percorridos ele tiver, mais desvalorizado ele tende a ser, porque é considerado um veículo mais gasto do que outro que não rodou tanto.

Na prática, entretanto, isso não necessariamente é verdade, já que o tipo de uso do carro e sua conservação são características que podem se sobrepor a quilometragem. Mesmo assim, isso vai depender da negociação em cada caso.

De modo geral, o mercado considera de 10 a 15 mil km rodados por ano a média ideal para que um carro não seja considerado desgastado. A baixa quilometragem também é um dos critérios usados para definir se um carro será considerado um seminovo ou um usado. Nesse caso, a média é de até 20 mil km rodados.

Assim, é possível perceber que não dá para precificar um carro apenas por sua quilometragem, porém, o quanto mais baixa ela for, mais valorizado o veículo tende a ser.

Qual a quilometragem boa para comprar um seminovo/usado?

kilometragem usado seminovo kombi(Foto por Christoph Peich / CC0)

Não há como definir um limite exato de quilometragem em que o carro começará a se desgastar e se desvalorizar. Porém, é fato que ao longo do tempo algumas peças precisam ser substituídas, por conta de ruídos ou mau funcionamento. No mercado há um consenso de que a partir dos 60 mil km, a atenção com as peças do carro precisa ser maior e os reparos mais constantes.

Logo, se formos olhar apenas para a quilometragem do carro, na hora de comprar um usado, a melhor opção seria aquele com menos de 10 mil km rodados. Dessa maneira, o veículo provavelmente ainda estará em um ótimo estado, mas o preço será elevado.

Se objetivo for expandir a margem de busca, o ideal é manter a pesquisa entre veículos que fiquem na faixa de 10 a 60 mil km rodados. Só considere veículos acima dessa faixa se estiverem em excelente estado de conservação e se você puder confirmar sua procedência.

Com quantos quilômetros eu devo trocar de carro?

(Foto por Skyriser / CC BY-NC 2.0)

A quilometragem ideal para realizar a troca de carro vai depender muito do uso e do cuidado que você tem com o veículo.

Mas, como já dito, geralmente um carro costuma apresentar maiores despesas com manutenção a partir dos 60 mil km, devido ao desgaste de alguns componentes que são um pouco mais caros para repor, como suspensão, embreagem, entre outros.

Esse pode ser um primeiro momento para você avaliar se continuará com o carro ou não.

Outro marco conhecido para fazer essa avaliação é quando o carro completa 100 mil km. Nesse ponto, um carro de uso urbano provavelmente começará a fazer visitas mais frequentes à oficina. Cabe, então, mais uma vez avaliar se o custo da manutenção do carro compensa em mantê-lo.

Para fazer essa análise, você pode utilizar outra regra de mercado que é a “regra dos 10%”. Ela indica que quando o custo anual da manutenção do seu carro ultrapassar 10% do valor de venda do veículo, pode ser o momento de vendê-lo. Logo, faça as contas e descubra se ainda vale a pena manter o veículo ou se já está na hora de comprar outro.

Outras formas de analisar quando você deve trocar de carro

Já sabemos que a quilometragem não é uma característica exata para definir o momento ideal de trocar de carro. Confira abaixo outros marcos que você utilizar para isso.

5 anos de uso

Um carro popular, pequeno ou médio, costuma viver os seus 5 primeiros anos sem grandes despesas com manutenção. Porém, depois de tanto anos, as suas peças de plástico e de borracha já estão mais suscetíveis a sofrer deformações, porque perdem sua elasticidade, se tornam mais rígidas e quebradiças.

Um dos componentes principais que está alcançando o seu prazo de validade por volta desse período são os pneus. Um jogo de pneus tem a validade de 5 anos normalmente e como trocá-los costuma ter um custo bastante elevado, muitas pessoas optam vender o carro antes de chegar este período.

Modelo de carro saindo de linha

Se o modelo do seu carro estiver saindo de linha, esse pode ser um bom momento para vendê-lo. Quando a montadora tira um modelo de linha, normalmente também abaixa o preço dos carros que ainda tem em estoque para poder liberá-lo para a nova leva.

Sendo assim, o seu carro do mesmo modelo também sofrerá uma desvalorização, já que se o zero está mais barato, o usado também ficará.

Além disso, com o modelo fora de linha, é provável que a montadora pare também de produzir as peças do carro. Com o tempo, será cada vez mais difícil de consegui-las, o que tornará a manutenção mais cara.

Posso confiar na quilometragem de um carro? Saiba como identificar adulterações

kilometragem carro usado seminovo trocar quando painel
(Foto por Jonh A / CC BY-NC-SA 2.0)

Infelizmente está cada vez mais comum o crime de adulteração do hodômetro do carro. De maneira ilegal, lojas e particulares costumam diminuir a quilometragem do carro, em vista de valorizá-lo um pouco mais. Desse modo, o melhor a se fazer é desconfiar sempre. Descubra agora algumas formas de você identificar adulterações na quilometragem.

Números desalinhados no visor eletrônico

Um método de verificar fraudes nos carros com visor eletrônico é detectar se há números desalinhados. Quando se faz esse tipo de truque, é comum dar esse erro. Outro ponto a se observar é se há marcas de que o painel já foi removido.

Isso não quer necessariamente dizer que o hodômetro foi alterado, esse procedimento pode ter sido feito para consertar outro componente, mas, nesse caso, é bom ficar atento.

Desgaste do carro

Um veículo usado deve apresentar marcas de desgastes condizentes com a sua quilometragem. Se ele possuir menos de 50 mil km rodados, os sinais de desgaste devem ser praticamente nenhum. A aparência do automóvel deve ser como a de um carro novo ainda.

Até os 100 mil km, o desgaste ainda é baixo, porém já pode apresentar algumas marcas. Acima dessa quilometragem é que os sinais de uso começam a ficar bastante evidentes.

Quais sinais observar?

Considerando que é o motorista a pessoa que fica mais tempo dentro do carro, analise o desgaste do volante, as sapatas dos pedais, a manopla do câmbio e a costura do banco. Se houver capas cobrindo esses itens, retire para poder observar a realidade. Evite carros desgastados que informem menos de 50 mil no painel.

Pneus

Os pneus podem dizer muita coisa sobre o veículo. O jogo dura em média 5 anos ou entre 40 e 60 mil km. Sendo assim, um carro que esteja dentro dessas características de idade ou quilometragem, como a maioria dos seminovos, deveriam estar no primeiro ou no máximo no segundo jogo de pneus.

Para saber se o carro está com os pneus de fábrica, verifique os números após a sigla DOT no pneu. São 4 números: o primeiro par indica a semana e o segundo o ano de produção. Para ser pneu de fábrica, o ano marcado nele deve bater com o ano do veículo.

Se for um segundo jogo, os pneus devem estar bem conservados, já que rodaram bem pouco. Caso você não encontre essas características, é provável que hodômetro tenha sido fraudado.

Cérebro eletrônico

Uma forma de averiguar esse dado com mais consistência é levar o carro em uma oficina especializada. Lá é possível verificar com um aparelho específico, se a quilometragem indicada no painel condiz com o registro no “cérebro eletrônico” do carro. Sempre há uma ligeira diferença entre as marcações, porém se ela for muito desigual, será melhor procurar outro carro para comprar.

3 dicas sobre como escolher um carro seminovo ou usado pela quilometragem

kilometragem usado seminovo dirigir
(Foto por why kei / CC0)

Analisar um carro pela sua quilometragem pode se tornar algo perigoso, se essa investigação não vier acompanhada de outros fatores. Isso porque a quilometragem por si só é uma indicação muito abstrata e sua interpretação varia de acordo com algumas condições. Sendo assim, confira agora dicas para você conseguir escolher um carro seminovo ou usado.

1. Verifique o histórico do veículo

Para não cair em golpe ou ser enganado por uma maquiagem no carro é importante verificar o histórico do veículo. Consulte o manual do proprietário, veja os períodos indicados para se fazer a revisão e verifique se as revisões obrigatórias foram feitas.

Um carro de 10 mil kilômetros que realizou a revisão e um que não, podem ser muito parecidos por fora. Porém, os componentes do que fez a revisão estarão muito provavelmente em melhor estado e essa será uma compra mais segura.

Além disso, os carimbos da revisão obrigatória também servem de prova para a quilometragem apresentada no hodômetro. Isso te auxilia a fugir de fraudes.

Se o vendedor não possuir esse documento da concessionária, peça o histórico de serviços em oficinas particulares ou até mesmo de troca de óleo. Neles contém a quilometragem da época do serviço, o qual você poderá usar como parâmetro.

2. Considere a marca e o modelo do carro

Não se pode analisar a quilometragem do veículo sem também considerar a marca e o modelo do carro, uma vez que existem marcas que apresentam um melhor desempenho geral em relação a outras.

As marcas japonesas como Honda e Toyota, costumam ser reconhecidas por sua qualidade. Desse modo, 200 mil km rodados pode ser muito para um tipo de carro, mas não para um Corolla, por exemplo.

3. Conheça o perfil do antigo dono

Carros que andam mais em estradas tendem a ter uma quilometragem mais alta, porém também costumam ser mais conservados, já que rodam em condições ideais de funcionamento.

Possuem uma aceleração constante, temperatura boa de óleo e do arrefecimento, assim não é necessário forçar os seus componentes.

Já nas cidades, com trânsitos intensos, não é possível desenvolver tão bem o carro, o que força o motor, além do freio e da embreagem. Quando fica parado no trânsito, é ainda pior para o carro, porque o motor trabalha em temperaturas mais altas que a ideal.

Desse jeito, é possível perceber que nem sempre a quilometragem vai indicar o tanto quanto você imagina sobre o carro.

Conclusão

kilometragem seminovo usado estrada
(Foto por Ferdinand Stöhr / CC0)

Por mais que a quilometragem possa servir de parâmetro de análise, não se deve levá-la tão ao pé da letra. Como podemos observar, existem outros quesitos que podem influenciar na hora de interpretar os dados fornecidos pelo hodômetro.

O uso dado ao veículo pelo antigo dono, local por onde passava, nível de conservação, modelo do carro, todas essas são características que podem tornar a pergunta “qual a quilometragem boa para um seminovo?” bastante relativa.

Contudo, feito as devidas ressalvas, ainda é um bom critério para fazer uma pesquisa mais grossa dentre os muitos carros disponíveis para venda.

Sendo assim, use as informações contidas aqui para fugir de fraudes, descobrir os melhores momentos para vender o seu carro e também encontrar o usado ou seminovo ideal.

E se você está em busca de comprar ou vender o seu usado/seminovo de maneira mais segura, está na hora de conhecer a Carflix, uma plataforma de venda de carros totalmente vistoriados e com 100% de procedência. Acesse nosso site e confira!

 

Você também vai gostar
6 Motivos para comprar carro seminovo
6 Motivos para comprar um carro seminovo.
Carros seminovos até 50mil
Os 5 melhores carros seminovos até R$ 50 mil.